• HERDADE DE COELHEIROS, 7040–202 IGREJINHA — PORTUGAL
  • TLF +351 266 470 000
  • FAX +351 266 470 008
  • INFO@COELHEIROS.PT
  • GPS 39˚38’22.34’’N 7˚50’59.03’’W

Herdade de Coelheiros

 

TEM IDADE LEGAL PARA O CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS?

SEJA RESPONSÁVEL e BEBA COM MODERAÇÃO.

 

Relatório Vindima 2018

O ano vitícola 2017-2018 foi um ano particularmente difícil a nível de viticultura, devido às condições meteorológicas bastante instáveis, no qual se assinalou um Inverno muito seco e uma Primavera húmida e fria. 
A temperatura média de Novembro de 2017 a Outubro de 2018 foi de 15,4 °C, ligeiramente mais baixa que o normal da região (15,9 °C). O acumulado de horas de frio foi bastante mais elevado (1 166 horas), quando comparado com o ano vitícola de 2016-2017 na região de Évora que foi apenas de 854. O número de horas de calor também foi inferior, induzindo um atraso significativo no ciclo da videira, e remetendo a vindima para o início de Setembro.
 
Em termos de precipitação, o ano vitícola de 2017-2018 totalizou 804,8 mm, considerando-se chuvoso comparativamente à norma que são 609,9 mm, contudo a distribuição da precipitação foi muito anormal. O mês mais chuvoso foi Março com 273,8 mm, e os meses de Abril e Maio também tiveram precipitações significativamente superiores à regra o que colocou bastante pressão nas doenças de origem fúngica, e obrigando a uma atenção redobrada da equipa de viticultura.
 
No início de Agosto, entre o dia 2 e 6, ocorreu uma onda de calor com as temperaturas máximas a atingirem os 44,26 °C, que associadas a ventos com velocidades médias de 30 km/h, e humidades relativas muito baixas, provocaram escaldão com perdas bastante significativas. As castas mais afetadas foram o Alicante Bouschet e o Roupeiro, com quebras a rondarem os 50% comparativamente a 2017. Após a onda de calor do início do mês, as temperaturas baixaram consideravelmente proporcionando uma maturação lenta e gradual.
 
A vindima decorreu com temperaturas amenas e quase sem registo de precipitação, permitindo aguardar pelo ponto de maturação ideal. Iniciou-se no dia 3 de Setembro com os brancos da Vinha do Alto, e terminou no dia 9 de Outubro com o Petit Verdot da Vinha do Taco. Colhemos no total 190 toneladas de uva, dos quais 121 ton de uva tinta e 69 ton de uva branca. 
 
Em termos qualitativos os vinhos brancos mostram boa intensidade aromática, persistência e definição de boca. Os vinhos tintos mostram cores profundas, concentração e taninos firmes mas aveludados, prometendo bom potencial de envelhecimento. De referir ainda que no final de 2017 a equipa de viticultura foi alterada, passando a ser liderada pelo João Raposeira.
 
A área de vinha em conversão para modo de produção Biológica aumentou, estando atualmente nos 19 há. Foram realizados ensaios de cobertos vegetais nos talhões da vinha do Taco e Ribeira, a fim de melhorar a estrutura de solo.
 
Em Fevereiro de 2018 assinámos um protocolo com a Universidade de Évora para estudar o impacto na biodiversidade da Herdade de Coelheiros com a mudança para Agricultura biológica. Prevê-se que este estudo decorra ao longo de 3 anos e contempla monitorização da microbiologia dos solos, plantas, aves e invertebrados.